Com 39 vitórias em 52 jogos, Capitals quebra recorde que pertencia ao Oilers de Gretzky

Que o Washington Capitals teve seu melhor início de temporada da sua história não é mais nenhuma novidade. Mas a equipe da capital americana continua a imporessionar: quebrou um recorde histórico na NHL. Com 39 vitórias em 52 jogos, após derrotar o Nashville Predators por 5-3 na Bridgestone Arena em Nashville, Tennessee, quebrou o recorde que pertencia ao Edmonton Oilers de Wayne Gretzky na temporada 1983-84, ano no qual a franquia canadense venceu sua primeira Stanley Cup. Coincidentemente, o Capitals é um Stanley Cup contender.

Em 1990, o Capitals chegou à sua primeira final de conferência, mas perdeu para o Boston Bruins em 4-0. Mas 8 anos mais tarde, chegou novamente na final da conferência e venceu pela primeira vez na sua história, derrotando o Buffalo Sabres por 4-2. Porém, perdeu a Stanley Cup de 1998 para o Detroit Red Wings em 4-0.

Há poucos anos atrás, o Caps tem conseguido se classificar para os playoffs, mas sempre sendo eliminado no 1º ou 2º round. Na temporada 2009-10, o time de Washington havia visto sua melhor temporada até então e foi campeão do Presidents’ Trophy, mas foi eliminado pelo arquirrival Pittsburgh Penguins em 4-3. Em 2013 e 2015, eliminado para o rival New York Rangers, ambas as eliminações no Jogo 7.

Mesmo com a decepção de ser eliminado, o Capitals está dando a volta por cima com esse recorde. E que fatores podemos destacar para o sucesso dessa equipe?

  1. Braden Holtby:

Braden Holtby, ou “HoltBeast“, como é chamado pela torcida, é um fortíssimo Vezina Trophy contender. O goleiro que teve seu contrato renovado em 5 anos (US$ 6,1 milhões por ano, num total de US$ 35,5 milhões) vem sendo um dos principais nomes da equipe e certamente será também nos playoffs.

2. As aquisições de Oshie e Williams:

Um dos maiores feitos na offseason celebrados pela torcida do Capitals foi a aquisição desses dois jogadores. Habilidoso e conhecido por ser um bom cobrador de shootouts, T.J. Oshie vem fazendo um bom trabalho na primeira linha co Alex Ovechkin e Nicklas Backstrom. Justin Williams, além de habilidoso, é experiente e com um bom curriculum: três Stanley Cups na carreira (Carolina Hurricanes em 2006; Los Angeles Kings em 2012 e 2014).

3. As evoluções de Kuznetsov e Burakovsky:

Evgeny Kuznetsov foi um dos nomes da equipe na série contra o New York Islanders nos playoffs da temporada passada e continuou o bom ritmo nesta temporada, sendo o primeiro jogador do Caps até aqui a marcar um hat trick na mesma. Já Andre Burakovsky fez os dois gols de um dos jogos na série contra o New York Rangers, mas não estava se encontrando no início desta temporada. Entretanto, isso mudou no mês de janeiro quando ficou mais autoconfiante e subiu para o top-six (na segunda linha, após lesão de Jay Beagle), ao lado de Kuzy e Williams. Atualmente, está há oito jogos consecutivos pontuando. Essas jovens promessas certamente serão um grande diferencial na pós-temporada.

4. A capacidade de se adaptar às adversidades:

O Capitals teve um número considerável de jogadores lesionados na temporada: Nicklas Backstrom perdeu os primeiros jogos no início da temporada; Brooks Orpik e Jay Beagle ficaram boa parte fora (foram os que mais desfalcaram a equipe); Marcus Johansson perdeu alguns jogos, mas não foi nada sério. Mesmo assim, a equipe de Washington manteve o ritmo e segue líder, quebrando recordes da franquia e da liga. Vitórias contra rivais e vitórias em jogos fora de casa, mesmo jogos consecutivos, são provas de que essa equipe pode se adaptar às adversidades.

5. Linhas efetivas:

Outra coisa que não é novidade é o fato de que o Capitals possui um dos araques mais letais da liga. Além do top-six marcando bastante para ser um diferencial no saldo de gols, as outras linhas também estão demonstrando seu valor. Jason Chimera é um exemplo disso. Na última parida contra o Predators, ele e Tom Wilson na mesma linha fizeram um gol cada. Poder ofensivo não é problema para essa equipe. Sua defesa também tem estado consistente e muito se deve ao Técnico Barry Trotz, especialista em cuidar deste setor.

Com esses exemplos citados, e podemos usar até mais, é a equipe mais bem preparada para a pós-temporada. Porém, não se deve esquecer que outras equipes também contam com jogadores talentosos que certamente fazem a diferença quando estão no gelo e observar as equipes que brigam na parte de cima da tabela.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s